top of page

Mustafa Avci, 33, que ficou preso sob os escombros por 261 horas, conhece sua filha Almile pela prim



Mustafa Avci, 33, que ficou preso sob os escombros por 261 horas, conhece sua filha Almile pela primeira vez e se reúne com sua esposa Bilge, após o terremoto mortal, em um hospital em Mersin, Turquia, 17 de fevereiro de 2023 ... Almile nasceu no dia do terremoto.

REUTERS/Clodagh Kilcoyne

O número de mortos no terremoto passa de 46.000; desespero por sinais de vida, artigo com vídeo

ANTAKYA/KAHRAMANMARAS, Turquia, 18 de fevereiro (Reuters)

Mais de 46.000 pessoas morreram no terremoto que atingiu a Turquia e a Síria e o número de vítimas deve aumentar, com cerca de 264.000 apartamentos destruídos na Turquia e muitos ainda desaparecidos sinais de vida sob os escombros.

Enquanto a Turquia tenta administrar seu pior desastre moderno, crescem as preocupações com as vítimas da tragédia na Síria, com o Programa Mundial de Alimentos (PMA) pressionando as autoridades do noroeste para parar de bloquear o acesso à área enquanto busca ajudar centenas de milhares de pessoas devastadas por terremotos.

Doze dias após o terremoto, trabalhadores do Quirguistão tentaram salvar uma família síria de cinco pessoas dos escombros de um prédio na cidade de Antakya, no sul da Turquia.

Três pessoas, incluindo uma criança, foram resgatadas com vida.


A mãe e o pai sobreviveram, mas a criança morreu depois de desidratação, disse a equipe de resgate. Uma irmã mais velha e uma gêmea não sobreviveram.

"Ouvimos gritos quando estávamos cavando hoje, uma hora atrás.


Quando encontramos pessoas vivas, sempre ficamos felizes", disse Atay Osmanov, membro da equipe de resgate, à Reuters.

Mais tarde, os trabalhadores interromperam as operações de busca quando as escavadeiras chegaram e subiram nos escombros para começar a limpá-los.


O número de mortos na Turquia é de 40.642 desde o terremoto, enquanto a vizinha Síria registrou mais de 5.800 mortes, um número que não muda há dias.

Falando à Reuters nos bastidores da Conferência de Segurança de Munique, o diretor do WFP, David Beasley, disse que os governos sírio e turco têm cooperado muito bem, mas que suas operações estão sendo prejudicadas no noroeste da Síria.


A agência disse na semana passada que estava ficando sem estoque lá e pediu que mais passagens de fronteira fossem abertas a partir da Turquia.

“Os problemas que estamos enfrentando [são com] as operações cruzadas no noroeste da Síria, onde as autoridades do noroeste da Síria não estão nos dando o acesso de que precisamos”, disse Beasley.

"Isso está atrapalhando nossas operações. Isso precisa ser consertado imediatamente."

"O tempo está se esgotando e estamos ficando sem dinheiro. Nossa operação é de cerca de US$ 50 milhões por mês apenas para nossa resposta ao terremoto, então, a menos que a Europa queira uma nova onda de refugiados, precisamos obter o apoio de que precisamos", acrescentou Beasley.


18 de fevereiro de 2023

Fonte: website Reuters News World

Notícias do Brasil e do mundo, sobre política, economia, inovação, emprego, educação, saúde, meio ambiente, agricultura, tecnologia, ciência, cultura e veículos.

Jornal TV 📺 Brasil 🇧🇷

brasil@jornal.net.br

Jornal WhatsApp

11 99923-2580

inovando sempre !

nosso foco é inovação


Kommentare


bottom of page